Categoria: ARTROSCOPIA

ESPECIALIDADES

O joelho é uma articulação composta pela extremidade distal do fêmur, extremidade proximal da tíbia e pela patela.

Possui uma estrutura anatômica composta por sua configuração óssea por meniscos, por ligamentos, cápsula articular e arcabouço muscular, que na sua plenitude garantem a estabilidade para absorver, transmitir e redirecionar forças no membro inferior. Os ligamentos cruzado anterior, cruzado posterior, colateral medial e colateral lateral são os responsáveis pela estabilização da translação anterior e posterior, angulação vara e valga e rotação interna e externa do joelho. As opções de tratamento das lesões da articulação do joelho são escolhidas com base na localização, idade, tipo e gravidade da lesão, condição de saúde e nível de atividade do paciente, podendo muitas vezes o tratamento cirúrgico não ser a melhor escolha para aquele paciente.

O ombro é a articulação de maior mobilidade do corpo humano, como consequência, uma das mais vulneráveis.

Possui uma estrutura anatômica complexa composta por três articulações (glenoumeral, acromioclavicular e esternoclavicular), por três sistemas osteotenomioligamentares de deslizamento (subacromial, umerobicipital e escapulotorácico). A integridade e funcionalidade dessas estruturas é fundamental para ação conjunta do braço e antebraço, cuja a finalidade é dar à mão amplitude de movimento tridimensional. Além dessa importante função, o ombro participa, com o restante do membro superior livre, dos mecanismos de equilíbrio e propulsão do corpo como um todo.

Com pequena estabilidade estática e grande estabilidade dinâmica, o ombro depende da ação integrada das estruturas anatômicas, que garantem a firme justaposição da cabeça do úmero à cavidade glenoidal, feita pela cápsula articular, pelos ligamentos, pela ação do manguito rotador e  pelo cabo longo do bíceps braquial.

A proximidade entre as estruturas mencionadas e a complexa mobilidade articular do ombro faz com que elas possam ser lesadas isoladas ou em conjunto, sendo difícil o diagnóstico e localização exata das lesões, sendo essencial o conhecimento detalhado da anatomia, biomecânica do ombro e cotovelo, do exame físico e das patologias da cintura escapular, para entender as queixas, diagnosticar e tratar com sucesso as patologias e traumas que acometem essa articulação.

Medicina Esportiva é a especialidade médica que inclui segmentos teóricos e práticos da medicina com o objetivo de investigar a influência do exercício, do treinamento e do esporte sobre as pessoas sadias ou doentes, com a finalidade de prevenir, tratar e reabilitar.

O objetivo é avaliar e acompanhar os praticantes de atividade físico-desportiva antes, durante e após a prática. Está direcionada não só a atletas de alto nível mas, também, pessoas não atletas que procuram utilizar a atividade física como meio de melhorar sua saúde.